OS ESTILOS DO BOXE

 

Por Victor Violi

 

 

Styles make fights” é um dos ditados mais antigos da Nobre Arte. Em português “Estilos fazem as lutas” ,ou seja, muitas vezes uma luta é decidida não pela qualidade, ou por quem é o melhor boxeador, mas sim por conta dos estilos e como eles casam entre si.

 

O exemplo mais clássico de tal ditado são as lutas entre o trio de ferro dos pesados nos anos 70, Joe Frazier, Muhammad Ali e George Foreman.


Ali tinha imensas dificuldades com Frazier, sendo derrotado por este na Luta do Século em 1971, Foreman por sua vez venceu Frazier duas vezes por nocaute com certa facilidade, mas foi nocauteado por Muhammad Ali.

 

As características de um estilo acabam por ir de encontro com as grandes forças de outro.

 

Apesar de suas particularidades, Ali era um “boxer”, ou como costumava-se chamar no Brasil antigamente, um “estilista”. 

 

FRazier era um "brigador” (swarmer/brawler) e Foreman um exemplo típico de “slugger” ou "pegador".
Mas quais são as características que formam o estilo de um lutador. O que fez de Foreman um “slugger” ou de Ali um “boxer” ? E o que faz os estilos casarem e definirem uma luta ?
 
 De antemão é importante ressaltar que nem todo pugilista corresponde a um dos estilos clássicos, muitos são 'híbridos', sendo quase que impossível de definir. 

 

BOXER

 

Talvez o mais emblemático dos estilos pugilísticos. O "estilista" como os antigos chamavam. Para muitos o estilo mais encantador, para outros um jeito entediante de se lutar. De qualquer forma inegável que, dispondo de certos atributos, constitui um modo efetivo de se lutar, com sucesso.


Willie Pep, Muhammad Ali, Willie Pastrano, Nicolino Locche, todos se encaixam nesta "espécie" de boxeador. 

 

E os principais atributos de um 'boxer' são: a movimentação defensiva, ou seja, saber recuar e circular pelo ringue, fazer uso dessa movimentação para trás em proveito próprio, geralmente são pugilistas com ótimos jabs e de muita velocidade. Visão e posicionamento são igualmente traços muito úteis nos "boxers".
 

Willie Pastrano é um dos estilistas mais clássicos que o Boxe já teve. Pupilo de Angelo Dundee, Pastrano inclusive influenciou um jovem Muhammad Ali

Uma vertente deste estilo seria o que se chama de "Boxer-Puncher", um boxer comum como os citados acima mas que além de tudo contém poder de nocaute, o símbolo de tal classificação é Benny Leonard, peso leve dos anos 20 que além de utilizar-se de uma movimentação defensiva constante e muito boa conquistava nocautes como poucos, assim como Thomas Hearns, Teofilo Stevenson.
Joe Louis também pode ser chamado de Boxer-Puncher.

 

SWARMER

 

Este seria o que popularmente se conhece como "porradeiro" ou "brigador" no português, pessoalmente não gosto desses termos pois indicam uma falta de técnica por parte desse estilo que não condiz com a realidade. Prefiro o termo "infighter" ou  "trocador".      

       
Joe Frazier, Jack Dempsey, Julio CEsar Chavez, Henry Armstrong, Carmen Basilio, Aaron Pryor, Ricky Hatton, Jake LaMotta são arquétipos de tal estilo.
 

Todos tem a tendência de lutar na curta distância, muito bons em desferir golpes no corpo e essencialmente boxeadores muito ofensivos, com sua movimentação capitalizando o ataque em primeiro lugar.
Combinação de golpes é algo igualmente indispensável no "trocador".


Todavia, não significa que estes boxeadores não se adaptam em certos momentos, e isso é muito bem visto no maior boxeador mexicano de todos os tempos, Julio Cesar Chavez.

 

Chavez era sem dúvida alguma um lutador agressivo, de muitas combinações e procura pela definição do combate antes do limite de rounds, veja a luta de Chavez contra Mario Martinez e observe como o mexicano era uma máquina agressiva e um trocador como poucos.

 

Porém, a sua luta contra Jose Luis Ramirez é uma das melhores exibições que já vi em termos de contragolpes, Chavez espera na maior parte do tempo a iniciativa de Ramirez e se aproveita do ataque do seu compatriota para assim vencer a maioria dos rounds, Chavez foi nessa luta, inusitadamente, um boxeador defensivo.

chavez recua até as cordas e contragolpeia o ataque de Ramirez na linha de cintura

Mencionei Jack DEmpsey como pertecente a esta categoria mas faço aqui uma ressalva, importante, ou melhor uma comparação para que se esclareça como que mesmo lutadores dentro da mesma "prateleira" em estilos podem ser significativamente diferentes.

 
Tomemos como confrontação Joe Frazier e Jack Dempsey, dois swarmers, infighters, brigadores, clássicos, indiscutivelmente, há quem talvez diga que Dempsey foi mais um slugger do que qualquer outra coisa mas não creio que tal categorização seja correta para o pugilista dos anos 10 e 20. 
Pois bem, enquanto Frazier era do tipo mais ativo e enérgico no sentido de que seus movimentos podiam ser até mesmo previsíveis, DEmpsey era mais metódico. O grande exemplo é a luta de Dempsey contra Jess Willard em 1919, quando Dempsey se tornou campeão mundial, compare com Frazier e seu modo de lutar contra  George Foreman. 

 

Dempsey nos primeiros momentos do combate, antes de derrubar Willard assume uma postura ofensiva, sem dúvidas, mas de muitos passos laterais antes da iniciativa concreta. Uma vez que Dempsey decidia atacar ele fazia com ímpeto incansável mas não era um lutador de movimentos constantes de ataque como Joe Frazier (ou Henry Armstrong se quisermos fazer uma comparação mais próxima do período em que JAck Dempsey atuava).

 

Portanto, aqui se demonstra mais uma vez como esta identificação pode não contar toda a história de um pugilista.
 

SLUGGER

 

Talvez o estilo mais difícil de se catalogar. O slugger basicamente seria aquele lutador que possui uma grande pegada, um grande "artista do nocaute,"mas que não usufrui de uma técnica que encha os olhos. É o PEGADOR.
 

O maior exemplo de um slugger foi George Foreman. Outros renomados deste estilo foram Rocky Marciano, Ricardo Mayorga, Ernie Shavers, Gerald McClellan.


Na verdade este é um estilo que frequentemente se manifesta em períodos da carreira de um lutador mais do que faz parte de toda a sua personalidade.

 

Mais recentemente tivemos um claro exemplo no argentino Marcos Maidana. Se pegarmos as lutas de Maidana na primeira parte de sua carreira, observe o confronto do argentino contra Victor Cayo, e o compare com Maidana da luta contra Adrien Broner. 

 

Você verá detalhes diferentes nessas duas versões de El Chino.

 

Mais notadamente após começar a ser treinado por Robert Garcia Maidana assumiu um estilo mais requintado na busca pelo ataque, Maidana era neste momento um trocador ou até mesmo um boxer-puncher, muito mais que um slugger. 

 

Seus movimentos defensivos e seus jabs consecutivos impressionaram até mesmo Floyd Mayweather Jr.


O caminho inverso fez Mike Tyson, o americano se tornou muito mais um slugger que pouco se movimentava e pouco preparava seus ataques em sua carreira pós-prisão e sua exibição contra Holyfield ilustra bem esta mudança, tínhamos ali um atleta que apenas confiava em sua pegada e queria decidir com golpes isolados a contenda.

 

Aqui há que se salientar, alías, um detalhe, que o slugger geralmente possui uma ou outra técnica, sim, que salta aos olhos, George Foreman por exemplo sempre possuiu um ótimo jab, principalmente para desequilibrar o adversário. Fosse um jab para manter a luta na longa distância e boxear seu oponente Foreman poderia ser considerado um boxer-puncher. 


 

CONTRAGOLPEADOR

 

Esta definição, contragolpeador, não é mencionada tão frequentemente, mas acredito que boxeadores como Juan Manuel Marquez, Floyd Mayweather Jr, James Toney, Joey Giardello, Nonito Donaire, não podem ser chamados de outra maneira, afinal são antes de mais nada pugilistas de espera, que reagem a ofensiva do contendor para então serem efetivos e acertarem seus golpes.


Nonito Donaire era um perfeito "modelo" do contra-golpeador, restrito, Nonito simplesmente não conseguia lutar bem se não ficasse na espera para reagir ao adversário, quando Donaire teve que tomar a iniciativa ele teve suas piores performances, contra o cubano Guillermo Rigondeaux, um boxer mas com alto índice de acerto como contragolpeador, alguém que pouco ou jamais toam a iniciativa, Nonito viu sua produtividade cair drasticamente, em contraste, seus encontros com Vic Darchynian, um swarmer,  o filipino-americano viu sua eficiência alcançar seu ápice em duas vitórias por nocaute especialmente na primeira quando Darchynian vivia seu auge.

 

Juan Manuel Marquez, um contra-golpeador por excelência, também via sua eficácia crescer demais em suas lutas contra Manny Pacquiao por esta mesma razão.
 

uma luta entre dois contragolpeadores, Mayweather joga um jab para fazer Marquez reagir e ele, Mayweather, poder então usar seus contragolpes (você verá no tópico Guia do Contragolpe mais detalhes estratégicos que os principais contragolpeadores usam para lutar contra diferentes estilos) 

 

 

 

BOXEADORES COMPLETOS

Eder Jofre foi um grande exemplo de um boxeador que podia fazer tudo muito bem.

E também temos os Boxeadores completos, que eu chamo de "sui generis", ou seja, lutadores impossíveis de se qualificar como pertencentes a este ou aquele estilo


Sugar Ray Robinson, Eder Jofre, Roberto Duran, Dick Tiger, Emille Griffith, entre muitos outros. 


Eder Jofre e Roberto Duran são ótimos exemplos, por acaso dois latinos que modificavam o seu modo de luta conforme o adversário e até mesmo de acordo com o que era necessário no momento dentro de um mesmo combate. O emblemático enfrentamento de Eder Jofre contra Joe Medel demonstra um Jofre boxer-puncher no início da luta, um contra-golpeador ao mesmo tempo que mostra o brasileiro como um infighter com o prosseguimento dos rounds. 

 

 

 

COMO OS ESTILOS CASAM ENTRE SI


O contragolpeador gosta de quem o ataca, seja um slugger seja um trocador. Floyd Mayweather Jr sempre teve um grande número de adversários de um estilo que favorecia seu estilo contragolpeador (Gatti, Corrales, Hatton, Maidana, Mosley, Cotto).


Ainda, o contragolpeador simplesmente não casa bem quando enfrenta um boxer, o grande exemplo disso é a já citada luta Guillermo Rigondeaux vs Nonito Donaire. 

 

Mas o que mais se diz é que o Swarmer (trocador) bate o Boxer(estilista), o Slugger(pegador) bate o Swarmer(trocador) e o Boxer(estilista) bate o Slugger(pegador). 

 

Frazier venceu Ali, Foreman venceu Frazier e Ali venceu Foreman.


Frazier tirava de Ali a distância e o jab, com seus constantes movimentos de cabeça, afogava Muhammad e ia vencendo mais rounds. 

 

Foreman era o Slugger, forte, pegador, duríssimo, que vencia o Swarmer Frazier que ia de encontro à ele, FRazier ia de encontro à fortaleza chamado Foreman e inevitavalmente sucumbia ao procurar uma luta mais física.

 

Não ajuda também o fato do trocador usar muito de pêndulos e o Pegador geralmente ter ótimos uppercuts como Foreman tinha.

 

Você não vai de encontro ao slugger-pegador !! E é isso que o Estilista-Boxer faz. 


Mas aí começam as inconsistências, Ali não fez isso contra Foreman, ele ficou contra as cordas e aguentou o combate corpo à corpo. Um melhor exemplo de um estilista boxeando o pegador é Ali vs Liston I (alguns podem dizer que Liston era na verdade também um boxer, um boxer-puncher).

 

Da mesma forma, o que se repete é que o trocador vence o estilista, mas.... Ali venceu Frazier duas vezes e perdeu uma. LaMotta perdeu pra Ray Robinson 5 vezes e venceu apenas 1.


A verdade é que os estilos do Boxe são apenas classificações imprecisas ja´que no alto nível todos tem caracterísitcas variadas e as lutas se definem por uma série de razões muito mais específicas do que estas.